Segunda-feira, 4 de Outubro de 2010

Chegou o dia...

Ora bem queridas leitoras, antes de mais um pedido de desculpas sincero.
Hoje finalmente, desde há 2 meses tomei uma decisão, a qual não podia adiar mais. É com tristeza que informo que a fanfic está encerrada. Porquê? - Bem as coisas mudaram… O meu pensar mudou sobre certos assuntos. Ando há 2 meses a adiar, a pensar e a repensar… Esta decisão, como devem imaginar, não é fácil para mim, pois esta escrita já fazia parte do meu quotidiano. Acreditem que sempre o fiz com todo o gosto e carinho de maneira (e não só) a agradar às minhas leitoras. Mas, como disse, há coisas que mudam e hoje de certa forma tive um “empurrãozito” para encerrar este capítulo. Volto a repetir, não é fácil para mim… Vou ter saudades. Obrigada por me terem sempre apoiado e obrigada também a todas aquelas que vieram para aqui falar mal pois graças a elas aprendi a passar imune às suas bocas, a ignorá-las.

A fic fica inacabada sendo que, cada um decidirá (na sua cabeça) o fim que lhe quer dar.

Uma vez mais, peço desculpa pelo tempo que demorei mas não podia decidir de “um dia para o outro”.

Com carinho,

                               Ângela.

 

P.S.: Deixo-vos a última escrita que data 16-08-2010.

 

« Capitulo 16

 

P.V. Robert

 

Estávamos completamente deliciados, quase a perder a cabeça quando, num movimento inesperado, a Ângela embateu no lindo jarrão que se encontrava ao pé do lavatório e um estardalhaço enorme se ouviu: Jarrão no chão.

                - Shit… - Sussurrei afastando-me.

                - Ups, desculpa… - Desculpou-se vestindo a t-shirt.

                - Que aconteceu aí dentro? – Perguntou o Tom do lado de fora da porta. Inconscientemente respondemos em uníssono:

                - Nada!

                - Robert?! Ângela?! Que raio fazem os dois aí dentro? – Perguntava evitando rir-se. »

 

 

Até um dia meninas...     


Publicado por SarAngela às 19:33
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (3) | Adicionar aos Favoritos
|
Sexta-feira, 6 de Agosto de 2010

Capitulo 15 - P.V. Ângela & P.V. Sara + P.V. Robert

 

“Todo homem é poeta quando amor tem, mas se se trata de paixão é melhor ser controlado para seu próprio bem.”

 

P.V. Ângela

 

Acordei com o sol a bater-me na cara. Estranhamente não ouvi o despertador irritante da Sara, ou o seu toque de telemóvel...

            -Bom dia dorminhoca. Já estás há muito tempo acordada? - Indagou-me o Rob que acabara de entrar no quarto. Invadiu-me uma sensação de felicidade extrema quando relembrei o porquê de eu estar ali e não na cama com a Sara. Recordei com fascínio o nosso beijo - que pensando bem, foi o primeiro.

Suspirei.

            -Acabei de acordar, e tu? - Disse esfregando os olhos.

            -Não me sentiste? Já estou há um tempão de pé! - Informou-me enquanto abria as janelas.

            -Como é que podia ter-te sentido?!

-Eu caí da cama... -Confessou envergonhado.

Concentrei-me para não me rir. Mas calma, ele disse: "caí da cama?!". Mas que cama? Se só há uma cama nesta suite... A não ser que ele tenha dormido nesta cama!! Olhei para a almofada desalinhada ao lado da minha! OMR ele dormiu mesmo nesta cama!! Ao meu lado!

            - Bela maneira para se começar o dia! – Gracejei espreguiçando-me.

            - Acredita! – Ironizou rindo enquanto pegava numa toalha turca. Virou-se para mim.

            - Vou tomar um duche… Podes acordar o Tom sff? – Pediu-me enquanto se dirigia para o WC. Ouvi a porta bater sem me dar tempo para lhe responder e levantei-me da cama. Estava com as mesmas roupas do dia anterior, a seguir ao Rob seria eu a tomar um bom duche. Caminhei preguiçosa para a sala. O Tom estava com uma respiração pesada e dele emanava um horrível cheiro a álcool. Abri os cortinados, outrora fechados, e toda a divisão se encheu de luz. O Tom reclamou.

            - Toca a acordar, vá! – Pedi estremecendo-lhe o ombro.

            - Deixa-me lá dormir, Rob! – Refutou ainda de olhos fechados afastando-me a mão.

            - Se abrisses os olhinhos poderias perceber que não sou o Rob. – Insisti destapando-o.

Ele abriu os olhos e voltou a fechá-los puxando-me para cima dele.

            - Ei!!! Tens 3 segundos para me largares! – Ameacei-o ao que ele se riu.

            - 1… - Iniciei a contagem.

            - 2… - Zombou-me.

E ao terceiro dei-lhe uma estalada na cara.

            - Auuu!! – Queixou-se soltando-me.

Saí de cima dele e ele rapidamente se levantou.

            - Pronto! Já estou de pé! – Garantiu-me.

            - Bom dia! – Desejei-lhe enquanto caminhava para o frigorífico.

            - Para ti também! – Retribuiu esfregando a cara. – Também acordaste assim o Rob?! Ou nem chegaram a adormecer?

Fitei-o incrédula. Que abusado…

            - Ele já estava acordado… Ao que parece caiu da cama… - Contei-lhe inocentemente.

Ele riu-se e abriu as janelas.

            - Ainda foi pior do que eu pensava! – Constatou rindo-se. – Para a próxima espero estar lúcido…

Fitei-o à espera que ele retirasse o que acabara de dizer mas não o fez… Dirigia-me então ao quarto para fazer a cama quando bati brutalmente contra algo…

            - Auuu! – Queixei-me abrindo os olhos depois do impacto.

Não era “algo”… Era “alguém”. Se o Tom estava na sala vestido, se o Robert estava no duche … Olhei-o dos pés à cabeça. A toalha caíra no chão quando embatemos. Tapei rapidamente os olhos com as mãos. Ele já estivera no duche, já não estava… Estava agora ali encostado a mim, nu e os seus cabelos pingavam.

            - Desculpa! – Pedi-lhe envergonhada incapaz de me mexer um milímetro.

Senti-o baixar-se e apanhar a toalha, produziu uma brisa. Ele estava atrapalhado, corado, bem como eu…

            - Anh… Hum, podes ir tomar duche… Eu vinha-te chamar para te dar uma toalha… Anh, vem comigo… - Pediu-me.

Inconscientemente continuei a caminhar de olhos fechados e desta vez fui contra uma superfície bastante mais rija: a parede. Ele riu-se.

            - Já podes abrir os olhos… - Informou-me.

Abri. E continuei a andar para o quarto. Ele entregou-me a toalha.

            - Hum, vou deixar aqui em cima da cama uma t-shirt e umas calças de fato de treino para ti, sim?

            - Okay. – Concordei sem conseguir dizer mais nada.

            - E bem, quanto à roupa interior… Han, não posso fazer nada… - Disse-me remexendo a mala. – Ah… A não ser… - Disse tirando uns boxers de lycra dele e pousando-os na cama. – Acho que é melhor que nada, não?

            - Serve! – Assegurei-lhe rindo.

Agarrou-me na mão e puxou-me para o WC.

            - Anda, vou-te mostrar como isto funciona. – Justificou-se enquanto manuseava as torneiras explicando-me “não-sei-o-quê”… Os meus olhos seguiam cada movimento de cada musculo das suas costas nuas… Óh vá lá eu não me conseguia controlar… Olhei-o de novo, de cima abaixo, e uma vez mais, de baixo a cima… Ele reparou…

 

P.V. Sara

 

Acordei com um cheiro a comida a invadir o quarto. O Kellan já não estava ao meu lado. Agora, em cima da sua almofada, estava um recadinho. Abri-o.

«Bom dia bebé! Espero que a noite tenha sido do teu agrado… Nunca passei noite tão especial como esta… És fantástica! Estou na cozinha… Amo-te.

K.»

Com um sorrisão dirigi-me à cozinha… Ele não deu por eu entrar. Abracei-o por trás, e beijei-lhe as costas.

            - Bom dia amor, noite melhor que a que passámos era impossível… Obrigada… - Agradeci-lhe com sinceridade. Ele colocou as panquecas acabadinhas de fazer num prato e virou-se para mim beijando-me apaixonadamente.  

            - Não devias vir para aqui nua amor… Isso é puro pecado! – Avisou-me olhando malicioso.

            - Tenho fome… - Disse. – Cheira bem! – Elogiei-o.

            - Acabadinhas de fazer amor! Porque não vais tomar um duche? – Interrogou-me enquanto me beijava de novo.

            - É uma boa ideia! Até já paixão! – Despedi-me enquanto me dirigi para o WC.

Aqueci a água e entrei para o duche. Fechei os olhos e descontraí…

 

P.V. Robert

 

Continuamos a olhar-nos e um ambiente estranho pairou no WC. Ela não parecia prestar a mínima atenção ao que eu dizia. Humedeci os lábios e elevei-a encostando-a a mim, beijando-a. Era tão estranho como tudo tinha mudado de um momento para o outro… Ainda com ela nos meus braços caminhei para porta entre beijos e fechei-a violentamente. Senti as suas mãos nos meus cabelos, agarrando-os com força e sentei-a no lavatório. A minha toalha caiu. Ela reparou e corou, parando.

            - Não importa… - Garanti, continuando.
Tirei-lhe a t-shirt e desapertei-lhe os jeans. Os nossos beijos voltaram, desta vez selváticos e a nossa respiração estava acelerada e profunda.

            - Posso? – Perguntei, prendendo a minha mão no seu soutien.

            - Hum, hum… - Foi tudo o que proferiu e puff… O seu soutien desaparecera. Acariciei os seus seios, temo que, com brutalidade. Senti as suas unhas cravarem-se nas minhas costas e descerem ao longo delas. Eu sentia-me excitado e agora por muito que quisesse pensar com cabeça, o meu cérebro era “outro”…

 

 


Publicado por SarAngela às 17:32
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (30) | Adicionar aos Favoritos
|
Sexta-feira, 30 de Julho de 2010

Capitulo 14 – P.V. Ângela & P.V. Sara + P.V. Kellan & P.V. Robert

 

“A noite é a metade da vida… e a metade melhor.” 

 

P.V. Ângela

 

            - Desculpa… - Lamentei envergonhada com o sucedido enquanto virava a cara para evitar olhá-lo.

A minha respiração estava ofegante… Que raio havia eu acabado de fazer?!

Foi então que para meu espanto senti as suas mãos tomarem o meu rosto e os seus lábios colarem-se novamente nos meus… Desta vez conheci a sua boca, o seu sabor, a sua textura… Foi um beijo intenso e ao mesmo tempo suave… Um beijo lento, doce.

            - Desculpa eu… - Lamentou por sua vez ainda com o meu rosto entre mãos, sussurrando junto à minha boca.

            - Como te sentes? – Procurei saber descendo das pontas dos pés.

Ele pareceu “descer à Terra” e também ele se compôs.

            - Estou melhor, obrigada por teres vindo comigo… - Agradeceu-me.

            - Pareces sincero… - Confessei baixinho.

            - E estou a sê-lo… Não queria que mais ninguém estivesse no teu lugar agora… - Declarou tímido.

            - Nem mesmo a Sara? – Fitei-o, ao que ele o fez também.

            - Nem a Sara… - Disse por fim.
Sorri e abracei-o.

            - Adoro-te… - Disse-lhe contra o seu peito.

            - E eu a ti, querida. – Revelou beijando-me o cimo da cabeça.

Suspirei feliz e peguei na sua chávena.

            - É melhor beberes… - Avisei-o. – Vai fazer-te bem…

            - Obrigada! – Agradeceu pegando-a e sentou-se no sofá.

Ele fez sinal para que me sentasse a seu lado, acedi ao seu pedido.

            - Desculpa ter-te estragado a noite…

            - Não estragaste! – Garanti-lhe.

Ele deu um gole no chá.

            - Uff, está quente… - Queixou-se.

Roubei-lhe um beijinho. Ele riu-se.

            - Agora já estão ambos à mesma temperatura: O chá e a minha boca… - Gracejou ao que eu não pude deixar de rir. A minha mão foi agarrada pela dele e pousada na zona do seu umbigo. Pousei a cabeça no seu ombro.

            - Tom?! – Chamou-o.

            - Hum, ele não está… - Informei-o. Ele fitou-me.

            - Não? Onde foi? – Perguntou-me curioso.

            - Bem ele deixou-te um recado em cima da mesa a dizer que estaria fora esta noite… Que foi sair a West Hollywood e que tinha alugado lá um quarto de hotel, pelo que, só voltaria amanhã…

            - Oh… - Pareceu murchar.

            - Que foi? – Tentei saber.

            - É só que… Imagina que me volto a sentir mal… Estou sozinho… - Desabafou. – Fica comigo esta noite… Por favor, fofinha…

 

P.V. Sara

 

Depois de várias insistências do Kellan para voltarmos para casa, lá cedi… Saímos da discotecazinha e entrámos no seu carro. Porém, sem eu contar com isso, ele desviou caminho e em vez de me levar para o velho apartamento onde vivia com a Ângela não, fomos na direcção da Nevada…

            - Kellan!? – Perguntei escandalizada.

            - Sim bebé? – Interrogou calmamente.

            - Kellan enganaste-te!!! – Exaltei-me.

            - Por acaso não… - Fitou-me atrevido.

            - Mau! Então!?

            - Vamos na direcção de Las Vegas, concretamente… Tenho uma surpresa para ti, amor… - Informou-me misterioso enquanto pousava a sua grande mão na minha perna, apertando-a.

            - Devias-me ter avisado… - Disse-lhe.

            - Não te preocupes… - Pediu-me. – Já tratei de tudo…

Fitei-o e pousei a minha mão em cima da dele… A noite era nossa, tínhamos tudo tratado, para quê a preocupação?

 

P.V. Kellan

 

Passado algum tempo estávamos à porta do hotel. Era um hotel bonito, vistoso… Abri a porta à Sara e tranquei o carro. Dei-lhe a mão e sorri-lhe docemente… Ela parecia ansiosa. Fiz o check­-in na recepção e encaminhámo-nos para a suite que havia reservado para nós… Ela tinha para além do quarto “normal” um quarto surpresa à sua espera mas desse ela não saberia a sua existência… Pelo menos por agora! Assim que entrámos e fechámos a porta da suite, encostei-a à parede e beijei-a demoradamente.

            - Amor, posso ir tomar duche? – Pediu-me.

            - Claro! – Concordei. – Eu vou a seguir amor…

E dito isto, deixei-lhe uma palmada no rabiosque e correu para o WC.

 

*

 

Assim que ouvi a água correr, entrei no WC sorrateiramente e deixei-lhe no lavatório uma camisa de dormir para ela, bem como umas cuecas. Fechei a porta e saí.

 

*

 

Quando ela saiu do WC já vestidinha, toda perfumada, chamei-a do tal quarto surpresa. Ela foi ter comigo e assim que entrou abriu a boca de admiração… Eu tinha-me esmerado! Aproximei-me dela, de boxers, com o sorriso mais carinhoso que consegui fazer. Peguei suavemente no seu corpo frágil, e entre beijos apaixonados, deitei-a sobre o chão almofadado de pétalas de rosa. Nada poderia correr mal... Era a sua primeira vez, eu era o escolhido, e como tal, iria cumprir a minha parte e tornar o acto em algo inesquecível, perfeito, tal como ela merecia. Era impressionante a maneira como ela me fazia sentir, eu queria fazê-la feliz, dar-lhe o meu amor. Essa oportunidade estava-me a ser dada agora, ali, e eu não ia desapontá-la.

Percorri as mãos pelas suas curvas enquanto saboreava os seus lábios. Ela entrelaçou uma perna nas minhas e encostei o meu sexo, já duro, ao seu corpo quente. Desviei o seu cabelo ondulado e beijei-lhe o pescoço, parando nos ombros. Desencostei-me, a minha babe olhou-me confusa, sorri-lhe e desenlacei o laço que apertava a sua camisa de dormir. Ela retribuiu-me um sorriso envergonhado ao ver que eu admirava os seus simétricos, bem-feitos e apetecíveis seios que eu há tanto tempo ansiava. Levei de imediato a minha boca a eles, acariciando os seus mamilos durinhos com os meus lábios. Ela fechou os olhos e deixou-me continuar com a “exploração” pelo resto do seu corpo. Entrei em frenesim quando pediu uma inversão de papéis.

Estávamos agora os dois sem roupa, os nossos corpos quentes ansiavam um pelo outro. Eu desejava-a agora mais que nunca, desejava fazê-la mulher.

Ela olhou-me intensamente e eu esbocei-lhe um sorriso caloroso, confiante. Apertei o meu sexo novamente contra si, desta vez sem tecido a separar-nos, ela respirou fundo. Fui ao encontro dos seus lábios e regressei ao pescoço, sussurrando-lhe ao ouvido:

           -Posso babe? 

Depois de uns segundos de deliberação ela acenou com a cabeça e respondeu sorridente e determinada:

           -Estou pronta!

           -Mesmo? É que se não estiv… -Interrompeu-me com um beijo apaixonado. Coloquei então o preservativo e de seguida o meu órgão em posição, e num gesto firme e cuidadoso, penetrei-a lentamente ao mesmo tempo que a beijava. Ela abafou um grito de dor, cerrou os punhos agarrando-se á manta que se encontrava por baixo, e contorceu os dedos dos pés. Continuei com movimentos suaves e regulares, senti a sua dor amenizar, ela ficou mais relaxada…

           -Se quiseres que pare, avisa princesa.

           -Não… Continua! – Pediu, quase ordenando.

Assim o fiz, aproveitando cada segundo que passava dentro dela.

Passaram horas…                                  

 

*

 

Beijei-a possessivamente.  

Estávamos felizes e completamente satisfeitos, de sorriso parvo na cara, os corpos tombados, suados e ofegantes, e com as mãos entrelaçadas.

Puxei um fino lençol para nos cobrir e aconcheguei a minha “oficialmente mulher” no meu abraço, que depois de algumas perguntinhas, acabou por adormecer…

 

P.V. Robert

 

            - EH LÁÁÁÁ!!! – Gritou o Tom ao entrar na sala, despertando-me.
A Ângela dormia com a cabeça sobre o meu colo… Havia-a convencido a ficar e acabámos por adormecer no sofá.

            - Shhhiiuu… - Proferi ao reparar que a Angie ainda dormia. – Podes falar baixo sff?! Acordaste-me!

            - Desculpa aí, meu… Quero-me deitar… - Pediu-me.

Ah claro… O quarto do Tom é a sala… Dorme sempre no sofá.

            - Bolas… Espera. – Pedi-lhe pegando cuidadosamente na Ângela que estava adormecida. – Não ias ficar em West Hollywood? – Lembrei-me.

            - Podes deixá-la aqui comigo! – Afirmou rindo-se.

            - Querias… - Balbuciou ela meio ensonada.

Ri-me.

            - Eu ia lá ficar mas… Depois conto-te isso… Agora vai-te lá deitar que são 5 da manhã e eu quero dormir. – Voltou a pedir.

            - Até amanhã… - Despedi-me caminhando ensonado para o quarto.

            - Até amanhã! – Pude ouvir ao entrar no meu quarto. Consegui transportá-la sem a acordar… Pousei a Angie no lado esquerdo da cama e deitei-me a seu lado. Tapei-nos com a roupa da cama e adormeci, dorido do sofá.


Publicado por SarAngela às 20:42
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (9) | Adicionar aos Favoritos
|
Terça-feira, 27 de Julho de 2010

Capitulo 13 – P.V. Sara & P.V. Ângela + P.V. Robert

 

“Quando o alivio espreita, o mundo se endireita…”

 

P.V. Sara

 

Dançava coladinha ao Kellan as músicas que iam passando… Ia descontraindo, relaxando… namorando. O bar estava praticamente vazio, o que para nós era óptimo! Longe de demais olhares curiosos… Ah, para nós e para o Robert que, devido aos hambúrgueres – aposto! – não se estava a sentir nada bem… Ainda assim, bebia uma cerveja, ao que parecia gelada… Ele devia mesmo querer ficar doente!

            - Babe… - Despertou-me o Kellan dos meus pensamentos. – Em que pensas tanto?

            - Neste momento em nada… é impossível faze-lo contigo a beijar-me o pescoço… - Admiti.
Ele gargalhou.

            - Há bocado… Quando eu não te estava a beijar o pescoço…

            - Hum, estava a pensar que o Robert não me parece estar-se a sentir bem… E acho que se está a fazer de forte ao beber uma cerveja… Acho que isto não vai acabar bem…

Ele desatou a rir de novo. Olhei-o séria.

            - A sério, amor? Achas mesmo? O Rob é forte…
            - Até pode ser! Mas maldisposto e animadinho ao mesmo tempo não vai dar bom resultado… E ele ainda tem de voltar para o Hotel e levar a Ângela a casa… - Mostrei-lhe o meu ponto de vista.

            - Tens razão, baby… - Admitiu pensativo. – E agora? Estou aqui tão bem contigo… - Mimou-me abraçando-se mais a mim.

            - Eu também amor… Mas é melhor pará-lo, não achas? Depois voltamos para aqui… - Prometi sorrindo.

Ele beijou-me e fomos ter com o Rob.

 

P.V. Robert

 

Eu sentia-me cada vez pior… A minha cabeça e barriga andavam à roda. Meti mais um gole à boca… Arrggg… Eu estava mesmo a entrar em contagem decrescente. Voltava a levar a cerveja à boca quando alguém m’a arrancou da mão.

            - Já chega Rob! – Avisou-me o Kellan.

            - Acho que tens razão… - Concordei com ele.

            - Não é melhor ires para casa?! – Perguntou-me a Sarinha.

            - Hum… Sim, sim, mas eu vou… - Decidi levantando-me da cadeira.

Cambaleei com uma náusea que desapareceu rapidamente.

            - Não vais de certeza sozinho! – Deixou-me bem claro a Sara.
O Kellan lançou-lhe um olhar… Eu estava a condicionar a noite deles… Nãã, nãã isso é que não podia ser.

            - Eu vou sozinho, já disse… - Voltei a repetir apesar de contrariado… Olhei-a…

Apetecia-me levá-la… Levá-la a ela…

            - Rob? – Chamou-me a Angie ao ver que eu a observava. – Eu vou contigo…

Não Robert… Isso não está correcto! Impede-a!

            - Obrigada, fofinha…

Que raio se passa na minha cabeça?!

            - Consegues conduzir, meu? – Averiguou o Kellan.

            - Claro… Não estou bêbedo, apenas maldisposto… Okay, muito maldisposto…

A Angie despediu-se deles e ainda os ouvi dizer para se ela precisasse de alguma coisa não hesitar em telefonar-lhes.
Caminhámos para o carro, devagarinho… Sentia-me tonto. Respirei fundo e a minha má disposição pareceu aliviar. Abri o carro e sentei-me. Inconscientemente deitei a cabeça sobre o volante.

            - Tens a certeza que te sentes em condição de conduzir? – Perguntou-me ela colocando uma mão nas minhas costas. – Estás a transpirar…

            - Sim… Anda, vamos lá querida. – Decidi levantando a cabeça e ligando o carro.

 

P.V. Ângela

 

Perdida em pensamentos, preocupada com ele passei todo o caminho… Despertei apenas quando ele fez uma paragem brusca, foi aí que me apercebi que tínhamos chegado… Chegado ao hotel dele. Ele saiu pressuroso do carro.

            - Não aguento mais… - Queixou-se.
Saí também rapidamente do carro, ele trancou-o. Em passo apressado, dirigimo-nos para o elevador passando pelos flashes (para variar) e quando demos por nós estávamos dentro do desarrumado apartamento de hotel do Robert.

            - Dá-me um ins… - E nisto desatou a correr para o WC deixando cair pelo caminho as chaves do carro.

Corri para a porta do WC para ver como ele estava… A porta estava fechada mas eu ouvia-o vomitar

            - Robert… Deixa-me ajudar-te… - Pedi aflita.

Ele não me respondia. Apenas os seus vómitos eram audíveis… Porém no intervalo de um ele respondeu-me:

            - Vai para o quarto… ou para a sala, mas sai daqui… Não oiças e nem vejas isto…

Acedi ao seu pedido contrariada. Tirei o casaco e pousei-o no sofá. Pus água a aquecer para lhe fazer um chá e reparei num papel em cima da mesa. Era do Tom:

«Rob, passarei a noite fora… Aproveitei o facto de saíres para sair também. Fui a West Hollywood à discoteca “House of Blues”, aluguei quarto num hotel lá… Volto amanhã. Porta-te bem, Tom.»

Fiquei contente ao ler o bilhete, ele estava fora. Tirei uma caneca do armário e coloquei um pouco de açúcar. O tempo passava, a água fervia e o Robert vomitava… e eu ali, preocupada! Deitei água na caneca e coloquei uma saqueta de chá dentro. Para meu alívio, finalmente ouvi o autoclismo ser puxado e a torneira a ser utilizada… Por fim acabara a sua má disposição… Fiz um esforço enorme para não correr para a porta do WC, mantendo-me assim agarrada ao balcão da mini cozinha controlando os meus impulsos.

            - Obrigada… - Agradeceu-me ele aparecendo à porta da divisão onde me encontrava.

Já tinha corzinha na cara, vinha em tronco nu, transpirado. Foi a gota de água para mim… Não, não aguentei mais. Corri para ele e beijei-o suavemente… Era o alivio a falar… O alivio de o ver melhor.


Publicado por SarAngela às 11:43
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (9) | Adicionar aos Favoritos
|
Quinta-feira, 22 de Julho de 2010

Capítulo 12 – P.V. Kellan + P.V. Robert + P.V. Ângela

“Há pequenos gestos do tamanho de letras que tomam dimensões do tamanho de frases”

 

P.V. Kellan

 

            - Estava a ver que não! – Observei olhando para o relógio assim que o Robert se conseguiu “livrar” das fãs e alcançar a nossa mesa.

            - Eu avisei que ia demorar… - Desculpou-se.
Levantei-me da mesa e dei-lhe um aperto de mão… e um abraço. Eiii!! O Robert estava mais cheiroso que o habitual… Ele está-lo sempre mas hoje está, diria até, demasiado perfumado.

            - Han Rob, isso é que foi gastar o frasco todo, não!? – Zombei-o dando-lhe umas palmadinhas nas costas.

Ele engasgou-se e corou.

            - Do que estás para aí a falar?! – Fez-se despercebido enquanto caminhava para a Sarinha.

Cumprimentou-a.

            - Do teu cheiro a perfume, Rob! – Explicou-lhe ela.

            - Ahah, parece que não sou o único a reparar! – Gloriei sentando-me de novo.

 Seguiu-se a Ângela. Reparei que ainda houve hesitação se lhe diria algum “olá” ou algo do género… Não disse, apenas a cumprimentou e sentou-se ao seu lado.

            - Diz-me lá bro, para quem é esse excesso de perfume? – Espicacei-o um pouco mais, deixando-o ainda mais encavacado. A Sarinha ria-se comigo.

            - Deixem o rapaz vá lá… Qual é o mal de se usar perfume?! – Defendeu-o a Ângela.

A Sara e eu entreolhámo-nos… Eu acho que ambos pensávamos o mesmo, mas não comentámos, apenas sorrimos.

            - Nenhum… Nenhum… - Constatou a Sara enquanto eu tossia propositadamente.

            - Já jantaste? – Perguntou-lhe a Ângela como que “preocupada”.

            - Não… Vínhamos jantar… certo? – Perguntou avaliando as nossas caras e de seguida os nossos tabuleiros… já vazios.

            - Bem, vínhamos… mas chegaste tarde, meu! – Expliquei-lhe.

Ele suspirou.

            - Sendo assim passo bem sem jantar. – Disse levantando-se e fazendo uma sorrisinho forçado.

            - Ei! – Proferiu a Ângela puxando-o até estar totalmente sentado na cadeira de novo. – Vais comer alguma coisa! Nós esperamos… Eu como um gelado…

            - Eu também! – Concordou a Sarinha.

            - Quem vai pedir? Eu também quero!! – Avisei-os.

O Robert começou a rir-se bem como as meninas.

            - O que foi? – Perguntei incomodado.

            - Nada Kellan… É só que… - Começou a Ângela que foi interrompida pelo Robert:

            - Comeste dois menus BigMac, meu… - Ria-se ainda mais o Rob enquanto remexia no meu tabuleiro. – Ainda tens fome?!

            - Eu alimento-me como um Homem, que sou… já tu… Cláudia… - Provoquei-o.

            - Tchhh tchhh, pois, muito homem… sem dúvida… - Pareceu duvidoso. – Como três se quiseres!

            - Ahah duvido… Nem dois quanto mais três! – Desafiei-o.

            - Não vão começar pois não, Kellan?! – Repreendeu-me a Sarinha.

Dei-lhe um beijinho suave no cantinho da sua boca perfeitinha.

            - Então verás “Krazy Kellan”… - Levantou-se e a caminho do balcão para fazer os pedidos ainda proferiu irónico: “Krazy Kellan” é sem dúvida uma alcunha muito de homem!

 

P.V. Robert

 

É o último… vá só falta um bocadinho para acabares o terceiro… - Pensava para mim mesmo, tentando convencer-me a mim próprio a comer o último bocado que restava do último hambúrguer.

            - Eu disse que não eras homem para tanto! – Gozava-me o Kellan.

            - Ai não?! – Perguntei retoricamente e enfiei o pedacinho que restava na boca. – Três!!!

            - Muito bem, meu!! – Congratulou-me ele sinceramente surpreendido.

As raparigas reviravam os olhos, e a mim só me apetecia “revirar” tudo cá para fora.

Três menus BigMac… Oh meu deus, sentia-me a rebentar…

            - E que tal irmos sair? – Perguntou entusiasmada a Sara.

            - Saímos há dois dias... – Contrapus… Eu não iria aguentar…

            - Não sejas assim Rob, vamos lá divertir-nos um bocadinho… - Pediu a Angie.

            - As meninas têm razão… ‘Bora lá meu! – Disse o Kellan levantando-se.

A seguir a ele também as miúdas se levantaram, e lá tive também eu de me levantar!

            - Trouxeste carro, Rob? – Ouvi enquanto olhava para onde não devia… - Rob?!

            - Sim?!

            - Trouxeste o carro? – Perguntou novamente rindo. – Nós vamos ter de ter uma conversa Pattinson! – Riu de novo.

            - Trouxe… - Respondi-lhe ignorando o “vamos ter uma conversa Pattinson…”. – Porquê?

            - Eu trouxe o meu carro de dois lugares… - Explicou o Kellan.

            - Esqueceram-se de mim… - Lançou-lhes um olhar irado a Ângela.

            - Mas eu não, fofinha. Anda daí! – Convidei-a a vir comigo enquanto caminhávamos para o meu carro.

 

P.V. Ângela

 

            - Obrigada por me poupares o lugar no porta-bagagens sujo do carro do Kellan! – Agradeci ao que ele riu.

            - Ora essa, não podes ir para a night suja, não é?!

            - Poder até podia… - Constatei.

            - Mas eu não quero a minha companhia suja, para sujo já basto eu! – Auto gozou-se ao que eu o fitei.

            - Não gosto nada desses comentários Robert Pattinson! – Avisei-o num tom ameaçador. – Hoje até vens tão cheirosinho… - Confessei deliciada.

Ele riu e entrámos no seu Chevy Nova, um modelo antigo – tão à Robert! – mas muito estimado.

            - Desculpa a desarrumação… - Lamentou atirando para debaixo dos bancos latas de cervejas. – Coisas do Tom…

Ri-me.

            - Também o ajudaste a beber, certo?

            - Claro, Angie! Que pergunta! – Confessou rindo.

            - Então são coisas do Rob também… - Provoquei-o mostrando-lhe a língua.

            - Tens razão… - Mostrou-me a dele também. – Cinto posto?

Pus o cinto.

            - Cinto posto. – Confirmei.

Ele ligou o carro, tocava “I was born to love you” dos Queen ele preparava-se para mudar de canal quando o eu impedi.
            - Não! Quer dizer… Por favor, não mudes…
            - Gostas de Queen?! – Perguntou espantado. – Pensei que a tua geração não gostava de música antiga…

            - A minha geração pode não gostar, mas eu gosto… Quando te interrogares sobre o que eu gosto ou não gosto pensa em mim como alguém da tua geração.

Ele desatou a rir e aumentou o volume.

 

*

 

Entoámos, juntos, umas quantas músicas até chegarmos a um discreto bar.

                - Parece que chegámos… - Disse ele observando.
Olhei-o, estava muito branco…

                - Robert, sentes-te bem? – Perguntei-lhe preocupada.

                - Claro… - Afirmou abrindo a porta do carro e saindo. – Claro que estou, porque é que não haveria de estar?

                - Hambúrgueres… É que tu estás tão branco….

                - É da luz… é impressão tua… - Tentou convencer-me.

Saí do carro e ele trancou-o. Caminhámos para junto da Sara e do Kellan… Eu ia mantê-lo debaixo de olho…


Publicado por SarAngela às 20:49
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (9) | Adicionar aos Favoritos
|
Terça-feira, 20 de Julho de 2010

Capitulo 11 – P.V. Ângela + P.V. Kellan

“Quem teme a verdade, teme a vida”

 

P.V. Ângela

 

Mais batatas mais batatas mais batatas!! Mais hambúrguer mais hambúrguer mais hambúrguer!! Já estava farta de trabalhar quando recebi uma chamada da Sara:

          - Amor, não posso falar estou a trabalhar! Uma colega pediu-me para trocar o turno com ela, vou desligar, beijinho. -E desliguei sem lhe dar tempo para falar.

Foi quando se chegou o gerente ao pé de mim.

          - Troca com a Sophie, vai para a caixa. - Ordenou-me ao ver a minha exaustão.

          - Obrigada! - Agradeci contente. Rapidamente troquei com a Sophie e voltei ao trabalho...

 

*

 

          - Sai um cheeseburger!!! - Gritava para os da cozinha enquanto passava os olhos pelo relógio... Ainda só haviam passado 2 horas! Já só pensava em ir para casa...

          -Eu quero um big big big big Mac - Pediu o...

          -Kellan?!Sara?!

          -Decidimos vir aqui jantar... -Respondeu-me a Sara com um grande sorriso.

          -Oh que queridos, obrigada meus amores, quero ir para casaaa...

          - Imagino o teu cansaço! - Compreendeu-me a Sarinha.

          - Eu acho q...

          - DESPACHA-TE ÂNGELA, MENOS CONVERSA!! - Gritou-me o empregadote do mês...

Por momentos apeteceu-me mandá-lo... plantar couves, mas como é óbvio, não o podia fazer… precisava do dinheiro.

          - Ainda estou a fazer o meu pedido a esta simpática senhora, tem algum problema com isso? -Defendeu-me o Kellan olhando-o de lado.

O lingrinhas do empregado do mês pôs-se a olhar para ele de alto a baixo:

          - E tenho...

          - Passa-se alguma coisa aqui? – Interrogou-nos o meu gerente.

          - Passa-se Senhor, estou estoirada, não aguento mais... e além disso o George não me pára de apressar... - Queixei-me ao gerente que me olhou com compaixão.

          - George passa para esta caixa, podes ir para casa querida, compensas depois! -Disse-me bem-disposto.

          - Posso só jantar primeiro? - Pedi envergonhada.

          - Claro! Deixa aqui isso por conta do George! - E dito isto despediu-se de mim e voltou para o escritório.

Fui despir a farda e em pouco tempo estava em frente ao balcão do George.

          - Ora boa noite! Para mim é um menu BigMac e uma Coca-Cola sff... - Pedi cinicamente. - E tu Kellan, que queres amigo? Sarinha? Força nisso, “espeta-lhe” ai com o pedido! - Ordenei sorridente enquanto olhava para o trombudo do meu colega.

Depois dos nossos pedidos e dos pedidos dos fãs do Kellan fomos sentar-nos numa mesa.

          - Quero mais visitas destas! -Ordenei rindo.

          - Claro que sim! – Afirmaram rindo também.

          - Então e vocês meninos? - Tentei abordar o assunto.

          - Nós estamos bem… - Respondeu-me a Sara vagamente.

          - Melhores que nunca! - Acrescentou o Kellan roubando uma batata frita à Sara.

          - Isso é igual a... - Procurei saber enquanto começava a comer.

          - Ainda não falámos sobre isso... -Informou-me timidamente a Sara.

          - Ah, está bem... Desculpem estar-me a meter mas é mais forte que eu... - Desculpei-me. - Ah, mas deixem-me dizer também que ficam  L-I-N-D-O-S juntos!

A Sara corou e o Kellan roubou-lhe um beijo.

          - Pelo menos alguém a favor da nossa relação... -Sussurrou ela trincando o seu hambúrguer.

          - Oh amor... Elas... Quer dizer toda a gente se vai habituar não é? - Olhei expectante para o Kellan.

          - Se te estás a referir às outras duas mulheres da minha vida tenho a dizer-te que aquilo lhes passa, se eu estiver feliz contigo então elas também irão ficar.

A Sarinha sorriu para ele feliz e deu-lhe um beijinho muito meigo.

          - E estás feliz? - Perguntou-lhe a Sara.

          - Ainda há dúvidas?! – Interrogou-a o Kellan a rir.

Sentia-me um bocadiiinhoo a mais e por isso "mudei" de conversa:

          - Kellan sabes alguma coisa do Rob? Ele não responde aos meus SMS's...

          - Ainda não falei com ele hoje... Vou ligar-lhe! - Decidiu o Kellan agarrando no telemóvel.

          - Realmente é estranho o Pattinson estar um dia inteiro sem dar notícias... – Observou a Sara.

          - Né'?! - Concordei com ela, olhando para o Kellan expectante.

 

P.V. Kellan

 

          - Meu, que é feito de ti?! Onde tens andado?! -Tentei saber assim que atendeu a chamada

          - Oi Lutz! Hum, em casa porquê? - Respondeu-me indiferente.

          - Em casa?! Passas o dia de folga em casa?! Vem jantar connosco!

          - Convosco?!

          - Sim, comigo com a Sarinha e com a Angie, estamos aqui no Mac...

          - Hum... É melhor não. - Respondeu-me.

          - Oh anda lá meu, não vais deixar a Ângela a segurar a vela pois não? -Argumentei piscando o olho à Ângela.

Fez-se silêncio.

          - Então Rob? Vens? - Perguntei-lhe enquanto comia mais uma batata.

          - Hum, ainda ia demorar...

          - Nós esperamos por ti!

          - Está bem eu vou, até já.

As miúdas ficaram a olhar para mim.

          - Ele vem aí... - Proferi animado dando uma trinca no hambúrguer.

          - Só espero que não traga o chato do amigo dele... - Desabafou a Ângela ao que eu não evitei rir.

          - Ontem não te queixaste! - Provoquei-a.

          - Queixo-me hoje! – Contrapôs.

          - Oh, vá lá anjinho, o Tom não é assim tão mau! - Comentou a Sarinha

Eiiii, esperem eu ouvi "o Tom não é assim tão mau!"?!

          - Sarinha!? - Olhei para ela, ciumento.

Ela sorriu-me e beijou-me a face.

          - É um chato é o que é! -Queixou-se a Ângela.

          - Ouvi dizer que ontem te convidou para passares lá a noite… conta-me tudo! – Pediu-lhe a Sarinha.

          - Como sabes?! - Perguntou-lhe chocada a Ângela.

          - O Kellan contou-me! - Confessou olhando-me cumplicemente.

Ela ficou meia atrapalhada mas acabou por contar tudo direitinho dando-nos a nós umas quantas oportunidades para gargalhar. Passados uns minutinhos vimos uma multidão a correr para a porta… Parece que o Pattinson tinha chegado…

 


Publicado por SarAngela às 11:53
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (10) | Adicionar aos Favoritos
|
Terça-feira, 13 de Julho de 2010

Capitulo 10 - P.V. Sara & P.V. Ângela

 

“Quem ama cuida e quem cuida apoia…”

 

P.V. Sara

 

Acordei com o som da música alta que vinha da sala, eram 13 horas da tarde, e parecia que alguém estava a dar uma festa lá em casa. Levantei-me sonolenta e assim que abri a porta do quarto tive vontade de a voltar a fechar.

          -Ângela, chega aqui! - Gritei e voltei a entrar no quarto.

          -Sarinha, desculpa... Ontem esqueci-me de te dizer mas já tinha combinado com as meninas que podíamos estudar todas cá em casa... -Explicou-se

          -Estudar?! Com a música nas alturas?!

          -Sim, é um novo método de concentração, desculpa se te acordamos, vou voltar para lá! Ah e fiz crepes! -Disse saindo do quarto e batendo com a porta.

O dia não estava definitivamente a começar bem... Entrei na casa de banho e tomei um duche rápido. Vesti-me e preparei-me: Hoje tinha o dia de folga. Fiz a cama e arrumei o quarto, precipitei-me sobre o telemóvel e vi que tinha uma SMS do Kellan.

 

« Amor, a Kola morreu... :'( »

 

Sem mais demoras liguei-lhe e não esperei muito até que ele me atendesse:

          -OH meu querido, lamento imenso...

          -Fuck, nem sei o que fazer... Ainda não dormi, quando cheguei a casa ela estava deitada no sofá e eu pensei que estava a dormir, fui meter-me com ela e não estava a reagir então liguei ao veterinário e ele veio cá, mas já estava morta!

Senti um enorme peso na consciência e sai de casa apressada ainda com ele em linha, fazendo apenas sinal à Ângela.

Liguei o carro e dirigi-me rapidamente para casa dele onde não demorei a chegar.

 

*

 

          -Abre-me o portão, já cheguei. -Pedi-lhe desligando por fim a chamada.

Ele veio abri-lo pessoalmente, abracei-o e entrei com ele para casa onde estavam a irmã e a mãe dele.

Elas fitaram-me cúmplices... Gestuei apenas um "Olá" e olhei de novo para o Kellan.

          - Vai passar querido... - Sussurrei-lhe abraçando-o.

Momentos depois aparece a Barbie que abraça o Kellan:

          -Kellan, precisava de te dizer que embora tenha sido eu a terminar a nossa relação, eu gosto muito de ti, e sinto-me na obrigação de vir aqui dar o meu apoio neste momento... Sabes que eu também adorava a Kola, era uma boa cadela... -Dizia enquanto eu a fitava perplexa.

          -Que queridos! - Suspirava a mãe dele...

          - Não são!? - Concordava também a sua irmã.

          - Era, é e será sempre. - Disse o Kellan afastando-a dele e puxando-me para si.

          - Claro que será! - Concordei com ele fazendo-lhe uma festa no rosto.

          - Bem eu estou atrasadíssima para... não interessa *risinhos*... Vou andando se não se importam... -Disse a Annalynne olhando para o relógio e apressando-se para a porta...

          -Oh já? Fica mais um bocadinho connosco, o Kellan precisa de tanto apoio neste momento! - Lamentava a mãe.

          -Parece que já tem pessoas suficientes para lhe darem todo o apoio que precisa! Gostei muito de vê-la novamente senhora Lutz, beijinho! - E dito isto saiu e fechou a porta.

          -Oh Kellan és tão parvinho filho, então não vais atrás dela?!

          -Para quê mãe?!

          -Oh filho se a queres conquistar novamente tens que fazer alguma coisa!

          -E quem disse que eu a quero de novo?

          -Mãe, não entendes que o nosso Kellan agora está "noutra"? - Indagou a irmã como se eu ali não estivesse.

          -Mas a Annalynne era uma rapariga tão querida, tão bondosa, e que beleza que ela tinha, e ainda tem! Ela gosta tanto de ti, filho! -Insistia ela, o que me enervava profundamente...

          -Se gostasse não tinha acabado comigo! Mas sabes uma coisa mãe? Ainda bem que o fez!! - Gritou abandonando a divisão onde nos encontrávamos.

Olhei para elas e abanando a cabeça abandonei também a divisão. Ele estava sentado na sua cama com a cabeça sobre as mãos.

          - Posso entrar? - Pedi a medo.

          - Claro... - Sussurrou. Ele estava a chorar.

Nada mais consegui dizer, apenas o abracei uma vez mais e senti a sua cabeça pousada no meu ombro. Com as minhas mãos acariciei os seus cabelos enquanto o "mundo dele" desabava um pouco mais.

          - Chorar faz bem, não te apreces amor... - Sussurrei-lhe.

O "amor" saiu-me e quase me arrependi de o ter dito porém ele beijou-me docemente e eu continuei com o meu papel de tentar fazer com que se sentisse melhor.

 

P.V. Ângela

 

A nossa sessão de estudo estava animadíssima até bater à porta o nosso vizinho (gay) do lado...

          - Oh minha adorada Ângela seria pedir muito que diminuíssem o volume da música?

          - Está-te a incomodar assim tanto?!

          -Tenho que confessar que sim, estava concentradíssimo ali nos meus novos exercícios para definir os glúteos e com a vossa musica não consigo ouvir o DVD que explica como os fazer... é impossível, agradecia muito que baixassem o som por favor!

          - Porque é que não vens dançar um pouco querida, hum?! - Perguntou-lhe a Roxanne toda energética puxando o meu vizinho para dentro de casa.

          - Vá mexe-te assim! - Pedia por sua vez a Claire, mexendo-lhe nos braços como se de um boneco se tratasse.

Eu apenas levava as mãos à cabeça ao ver tudo aquilo... Fui espreitar o meu telemóvel e tinha uma SMS da sara que dizia:

 

«Help me, estou em casa do Kellan com a mãe e a irmã!! Elas odeiam-me, tens que ver como olham para mim. Se não estiver em casa antes do anoitecer manda um mandato de busca cá a esta casa! Amo-te»

 

Não evitei em expressar uma gargalhada e respondi-lhe:

 

«Força com isso amor! Não te preocupes que mesmo que elas te transformem em sapinho eu fico contigo e tomo conta de ti, bé! AH e se elas te fizerem isso eu "contrato" os vampiros para darem cabo dessas bruxas e em seguida chamo o teu amorzinho Kellan para que te transforme numa princesa de novo :P Agora a sério amor, não lhes ligues o Kellan precisa muito de ti... Cuida dele, AMO-TE <3»

 

          - SOCORRO!!!! - Gritava o meu vizinho da sala.

Corri para lá e observei uma cena deprimente.

          - ESTÃO-ME A VIOLAR!!! - Gritava ainda mais.

As meninas estavam a "brincar" com ele aos heterossexuais, a tentar beijá-lo todas em cima dele no sofá.

          - HEIII HEIII vá lá, então?! - Parei a "brincadeira" estúpida, tirando-as todas de cima dele e deixando o pobre coitado respirar.

          - SÃO MALUCAS!! MALUCAS!! MA-LU-CAS! Nunca mais cá volto.. NUNCA MA-IS! – Dizia rapidamente enquanto corria porta fora.

          - Desc... - Tentei ainda pedir desculpa porém ele bateu com a porta, eu olhei para as raparigas furiosas e desliguei a música.

          - Acabou a festa! E o estudo!

          -Oh Ângela... vá lá... Estávamos só a brincar com ele! -Defendeu-se a Martha.

          -Foram longe demais, ele é bastante meu amigo aliás, a Sara adora-o ele é muito querido!

          -Desculpa amiga, não foi por mal, estávamos só a divertirmo-nos...

          - Não levem a mal mas preciso de sair um bocado... - Pedi delicadamente dando uma desculpa.

          -Não faz mal querida, para a próxima é em minha casa meninas! -Disse a Rox dando-me um beijinho na bochecha.

 

*

 

Estava agora sozinha. Olhei em volta e tombei no sofá ao observar o que tinha que arrumar!

 

P.V. Sara

 

Final da tarde e finalmente as bruxas tinham ido embora... O Kellan estava melhor mas ainda assim inconsolável.

          -Queres ir até lá a casa? -Perguntei-lhe com a finalidade de o tirar do ambiente daquela casa!

          -Vamos -Aceitou imediatamente desligando a T.V.

Ele preparava-se para entrar no seu carro porém eu impedi-o.

          - Anda, vamos no meu, eu depois trago-te a casa... Se quiseres claro, podes ficar a dormir lá em casa... - Propus-lhe com a melhor das intenções.

Seria mais fácil para ele se não estivesse na casa onde a Kola morreu. Ele assentiu e entrou para o meu carro.

          -Desculpa a cena da minha mãe e da minha irmã... Elas gostavam muito da Anna...

          -Não faz mal meu querido, eu percebi!

          - Mas elas terão de aceitar... Vais ver... - Afirmou confiante com um sorriso débil nos lábios... Acelerei e passado um minutinhos estávamos em casa.

 

*

 

          - Ângela?! -Chamei assim que abri a porta de casa...

Porém não me respondeu!

          - Achas que uma miúda como ela estava em casa num dia de folga? - Observou o Kellan encostando-se à mesa.

          - Podia estar... Conheço-a melhor que tu! - Contrapus deitando-lhe a língua de fora.

          - Nós também não devíamos estar em casa num dia de folga!

          - Queres sair? Em casa realmente não se faz nada! – Concordei.

          - E onde vamos? - Perguntou-me ele expectante.


Publicado por SarAngela às 17:07
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (9) | Adicionar aos Favoritos
|
Quinta-feira, 8 de Julho de 2010

Comunicado

Queridas leitoras da Luz Do Futuro é com imensa pena, e devido a motivos pessoais, que anuncio a minha retirada desta “aventura”; e com isto quero dizer que a partir de agora quem vai dar continuação a esta fanfic vai ser exclusivamente a Ângela. Espero que tenham gostado do meu trabalho tanto como eu gostei de o fazer. Estou convicta que a minha “cunhadinha” continuará a história com muito empenho e não vos desiludirá.
Beijinhos e os melhores cumprimentos,
Sara C’L
P.S.: Eu vou continuar a acompanhar a fanfic, e vocês?

Publicado por SarAngela às 20:38
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (10) | Adicionar aos Favoritos
|
Terça-feira, 6 de Julho de 2010

Capitulo 9 – P.V. Sara & P.V. Ângela + P.V. Kellan

 

“O ciúme traduz o sentimento de propriedade…”

 

P.V. Sara

 

Saímos da festa às 5 da manhã surpreendidos pelos paparazzis à porta da discoteca... Íamos um bocado a cambalear mas nada de "grave". O Kellan mantinha-se inalterável, parecia ele que nem tinha bebido... Entrámos os três (eu, a Ângela e o Tom) no carro do Kellan e partimos rumo ao hotel onde estavam instalados o Robert e o Tom.

Saímos do carro de cabeça baixa ao avistarmos uma vez mais paparazzis, desta vez à entrada do hotel. Desatámos a correr para dentro do elevador e um silêncio horrível instalou-se no seu interior... Em todos nós pairava a mesma dúvida: o que era feito de Robert?! Eu sentia a Ângela rígida e por isso aconcheguei-a nos meus braços... O elevador abriu no piso 8 e caminhámos na direcção da suite.

O Tom abriu a porta e entrámos todos à procura de sinais do Robert… Ele estava já deitado e a dormir...

          -Ei meu?! Acorda lá, então? - Acordou-o o Tom dando-lhe uns empurrões...

O Robert acordou sobressaltado e uma fúria o dominou.

          - O que queres?! E deixares-me dormir em paz não!? - Elevou a voz irritado.

Aproximei-me dele...

          -Calma meu querido, porque é que te vieste embora sem dizer nada? Sentiste-te indisposto? -Perguntei-lhe ajeitando o cobertor que o tapava.

          - Senti-me "indisposto" de facto mas não dessa forma... - Disse num tom seco sentando-se na cama.

Continuava aborrecido e ninguém compreendia a sua má disposição.

          -E eu a pensar que estavas com uma brasa num canto qualquer! – Zombou-o o Kellan.

O Robert olhou-o irado e respondeu:

          - Só se fosse com a brasa que cai do cigarro!

          -Por falta de escolha não foi com certeza Pattinson! -Respondeu-lhe.

          -Alguém quer uma cerveja? -Perguntou o Tom enquanto se dirigia á cozinha.

          - As outras não me interessavam... – Respondeu o Rob abertamente.

          - Uma! - Respondeu a Ângela.

          - Duas! - Respondi eu também.

          - Eu partilho com a Sara, ela não pode beber mais... - Zumbou-me o Kellan e beijou-me de seguida rindo.

O Robert levantou-se repentinamente e pegou num cigarro.

          -Vou para a varanda, alguém quer um? -Ofereceu esticando o maço do tabaco.

          -Não vás! Estão ai paparazzis!! -Informei-o. - E eu não fumo!

          - Quero lá saber! - E dito isto entrou na varanda a fumar.

Encolhi os ombros e sentei-me com o Kellan no sofá. A nossa cerveja chegou e depois do Tom entregar a cerveja à Ângela voltou para ao pé de nós...

 

P.V. Ângela

 

A minha cabeça estava prestes a formar um gigante nó ao tentar perceber a atitude do Rob, mas desisti quando percebi que só poderiam ser ciúmes da Sara e do Kellan, mais nada fazia sentido!

          -Queres dormir cá esta noite? -Perguntou-me discretamente o Tom enquanto se sentava ao meu lado.

Querer queria mas com certeza não era na tua cama... -Pensava só para mim.

          -Não... - Respondi dando um gole na cerveja, levantei-me e parei à porta da varanda deixando o Tom com cara de parvo.

          -Posso? - Pedi licença para entrar.

          -Queres? -Perguntou esticando-me o seu cigarro.

          -Não. Posso entrar na mesma?

          -Entra...

          -Parece que os paparazzis terminaram o seu trabalho por hoje... – Comentei.

          -É, parece que sim... - Concordou comigo olhando para baixo.

Apagou o cigarro e acendeu logo outro de seguida.

          - Não devias fumar tanto... - Observei preocupada

          -Pois não. -E para meu espanto deitou fora o cigarro acabado de ser aceso.

          -Não gostaste da festa? - Indaguei na tentativa de obter uma resposta decente.

          -Não. - Respondeu-me virando-se para mim. - Faltava-me a companhia…

          -Eram os anos do teu amigo... Estava lá montes de gente que tu conhecias, e muito bem... Não devias ter vindo embora... Achas bem?

          -Não ia ficar num sítio onde não me sentia bem com situações que não me faziam sentir bem, não achas?! - Contrapôs.

          -Não achei correcta a tua postura, e não consigo perceber toda essa tua atitude...

          -Poupa-me os sermões sff! Eu lá tive as minhas razões, okay?

Fitei-o por uns segundos e depois abanando a cabeça saí da varanda.

Ele saiu atrás de mim e foi ter com o Kellan...

          -Anda cá meu, desculpa ter saído a meio... Fico feliz por ti. - Lamentou passando-lhe um envelope para a mão.

O Kellan abriu e de lá tirou dois cartões que pareciam ser...

          -BILHETES?!!?! Para os "Bears"?! Ei obrigado Pattz, não era preciso... -Agradeceu dando-lhe um abraço.

          -Não tens que agradecer, o jogo já é na próxima sexta!!

          -Obrigadão, então temos que ir ver!! -Afirmou o Kellan entusiasmado.

          -Eu estou a trabalhar... Dá o bilhete aí à Sarinha que ela adora basebol! -Sugeriu piscando-lhe o olho.

          -Por mais que adorasse ir também trabalho na sexta… -Recusou ela dando uma gargalhada.

O Kellan olhou então esperançoso para mim...

          -Bem... eu estou livre! - Afirmei com um sorriso. - A não ser que o Tom queira ir...

          -Já vou embora daqui a dois dias, jeitosa! - Lamentou olhando-me de alto a baixo.

          -Então vou eu! -Aceitei de imediato.

          -Óptimo! Vais ver que nos vamos divertir! Eles é que não sabem o que perdem...

          -Por falar em presentes... Quando nos fores levar a casa entras connosco um bocadinho, está bem? -Pediu a Sara.

          -Só um bocadinho? -Contestou rindo. - Claro que sim, mas aviso que não quero nenhum presente… a não ser que o presente sejas tu!

          -Queres presentes sim senhora e o presente não é a Sara, é das duas, achas que te ia oferecer a Sara? -Zombei mostrando-lhe a língua.

          -Isso de oferecer os amigos é que é! Sara, daqui a uns meses sou eu a fazer anos, decora a minha data sim? - Disse prontamente o Tom.

          -Estou convidada para a festa é? Olha tenho um amigo bem jeitoso para ti, é meu vizinho... é cá um bombom!! – Provocou-o a Sara.

          -Eii, olha que eu sou muito homem! -Reclamou voltando a fitar-me de alto a baixo.

          -E ali a nossa Ângela que o diga… -Ripostou o Lutz.

          -Pronto, já começam as piadinhas... Uma pessoa já nem se pode divertir que vêm logo as piadinhas! - Articulei dirigindo-me para a cozinha, e adivinhem quem me seguiu...

          -Não queres mesmo passar cá a noite? -Insistiu voltando a beijar-me no pescoço... Passando para os lábios mais uma vez…

          -Não, obrigada pelo convite! - Disse tentando descolar os seus lábios dos meus, porém estava difícil...

          -Porquê? Se é por causa do Rob não te preocupes, há mais quartos no hotel...

          -Não Tom, hoje vou dormir muito bem com a Sara, obrigada! - Esforçava-me por me concentrar, porque tinha ele que ser tão giro?!

          -Dormias melhor comigo... - Refutou com as suas mãos a envolver-me a cintura.

          -Já te disse que não vou ficar, não insistas! - Pedi tirando as mãos dele da minha cintura.

Que lapa! - Pensei enquanto me preparava para abandonar a cozinha.

Entretanto apareceu o Rob com cara de poucos amigos.

          -Importas-te que convide a Ângela para passar cá a noite? – Perguntou o palhaço do Tom ao Robert que me fitou e a seguir o seu amigo.

          -Importo. – Elevou a voz.

          -Ei, não olhes para mim que eu já lhe disse que não! – Defendi-me.

          -Estava a brincar… - Contradisse o Tom.

          -Espero muito bem que estejas, a Ângela é minha amiga, é para ser tratada com respeito, ainda por cima aqui em minha “casa”! – Refilou o Robert ao que eu me emocionei.

O Tom ficou a olhar para mim “danado” com o sucedido, em resposta apenas lhe sorri triunfante e abandonei a cozinha.

          -Meninas vamos embora? – Propôs o Kellan assim que entrei na sala.

E antes mesmo de lhe poder responder já tinha o Tom novamente atrás de mim…

          -Já!? Amanhã não estão todos de folga?! – Intrometeu-se o chato do Tom.

          -Sim vamos, estou cansada! – Concordou a Sara levantando-se do sofá.

Ignorando o Tom, aproximei-me do Rob e dei-lhe um beijinho no rosto. Seguiu-se a Sara e o Kellan que uma vez mais foram felicitados.

          -Espero voltar a ver-te antes de voltar para Inglaterra… - Confessou o Tom em segredo antes de fechar a porta da suite.

          -Até à próxima! – Despedi-me e entrei rapidamente no elevador, onde me encostei.

          -Ufa, até que enfim! – Suspirei aliviada, mas depressa percebi que estava a ser desprezada pelo casalinho que continuava divertido no elevador…

 

P.V. Kellan

 

Depois da noite passada com a Sara apercebi-me do tempo que tinha perdido na companhia da Annalynne. Com a Sara sentia-me melhor, mais livre, mais relaxado… Ela fazia-me sentir bem!

Como combinado entrei um "bocadinho" em casa delas...

          -Ok Kellan, fecha os olhos - Pediu-me a Ângela tentando chegar a eles para se certificar que não os abria.

Ri-me com a situação e baixei-me um pouco para lhes fazer a vontade.

          -Obrigadinha! - Agradeceu-me rindo e tapando agora totalmente os meus olhos.

          -Estás pronto!? - Ouvi a Sara ao longe.

          -Sempre... - Concordei curioso.

Ouvi uns risinhos entre elas e finalmente a Ângela devolveu-me a visão. À minha frente estava a Sara com um aquário redondo nos braços, o qual continha dois peixinhos: um amarelo e outro vermelho.

          -Não acredito! Isso é para mim?

          -Para quem havia de ser?

          -Obrigado, nunca tive peixes de estimação, oh a Kola é que vai gostar deles! -Zombei dando uma gargalhada.

          -E tu, não gostaste, foi? - Perguntou-me a Sarinha parecendo ofendida.

          -Claro que gostei, tola! - Afirmei beijando-a e pegando no aquário. - Uma vai ser a Sara e outra a Ângela, que acham?

          -Uma óptima ideia! - Concordaram comigo.

          -Fixe, obrigada meninas! - Sorri-lhes.

          -Bem é a minha deixa "casalinho"... - Disse-nos a Ângela bocejando. - Vou mimir, até amanhã... Portem-se bem! - Avisou-nos sorridente.

Despediu-se de nós com um beijinho e entrou no quarto fechando seguidamente a porta.

           -Posso ficar um bocadinho? - Pedi à Sarinha ao que ela me sorriu docemente e me beijou.


Publicado por SarAngela às 12:29
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (7) | Adicionar aos Favoritos
|
Terça-feira, 29 de Junho de 2010

Capitulo 8 – P.V. Kellan & P.V. Robert + P.V. Ângela & P.V. Sara

 

 

“Às vezes quando menos se espera um amor inesperado se sucede”

 

13 de Março de 2016 – Um mês depois…

 

P.V. Kellan

 

A minha festa de aniversário decorria há pouco mais de meia hora e a Sara ainda não estava presente. Os meus companheiros de casa, o Robert e o seu melhor amigo, a minha família… Todos haviam chegado, excepto ela. A discoteca estava a bombar e já eram muitos os presentes “quentinhos” com o álcool. As pessoas vinham ter comigo e felicitavam-me, 31 anos... Como era possível?! De repente avistei a porta abrir e pareceu-me ver a Sara entrar acompanhada pela Ângela, avisei o Robert e fomos ter com elas – ah, com o melhor amigo do Rob atrás. Por breves momentos vidrei: a Sara estava linda! Vestia uns jeans justos e uma gabardina preta (mal podia imaginar o que escondia o casaco).

            - Parabéns!!! – Felicitou-me abraçando-me.

            - Obrigada Sarinha! – Agradeci-lhe. – Estás alta… e linda! – Elogiei-a sorrindo ao que ela corou.

            - Cala-te! – Ordenou-me envergonhada ao que eu lhe agarrei e fi-la dar uma voltinha.

            - Muito bem! – Sorri-lhe.

Seguiu-se a vez de a Ângela me dar os parabéns e depois puxei-as para o bar.

 

P.V. Robert

 

Tanto a Sara como a Ângela estavam lindas, a Ângela envergava umas calças justas e uma túnica, com uns sensuais saltos altos que lhe davam uma postura elegante, pela primeira vez reparei melhor nela: estava mais bonita, mais sexy. Fitei-a durante uns segundos e desviei o olhar para a Sara assim que ela me olhou. Esta estava deslumbrante como sempre e como sempre me ignorava, era tão óbvia a sua paixão pelo Kellan que até doía só de olhar, precisava de outra cerveja….

           -Meu, quando é que me apresentas a loirinha dos olhos verdes? – Ah, e de apresentar o meu amigo Tom às miúdas:

           -A loirinha tem nome, é a Ângela, e a dos olhos azuis é a Sara, mas podes tirar o cavalinho da chuva porque ela já está interessada noutra pessoa…

           -Pois já vi que sim, ali no Kellan! – Tal como eu tinha dito, era tão óbvio… – Também não estava propriamente interessado nela, gosto mais de loiras, se é que me percebes… – Não sei porquê mas não gostei nada deste seu interesse pela Ângela…

           -Sara? – Chamei-a, interrompendo a sua “interessantíssima” conversa com o Lutz. Ela aproximou-se e apresentei-a ao Tom, seguidamente apresentei a Ângela e lá ficaram os dois a falar…

           -Dê-me uma cerveja se faz favor. – Pedi ao barman enquanto o Kellan pedia dois cocktails.

 

P.V. Kellan

 

           - Toma lá Sarinha! – Disse entregando-lhe o cocktail. – Hum, ananás?

           - Obrigado! Sim ananás… Gostas? – Perguntou-me sorrindo enquanto nos encaminhávamos para os sofás no cantinho mais sossegado da disco.

           - Nunca provei… - Disse atrevido ao sentar-me ao seu lado juntinho a ela nos sofás pequenos.

Ela deu um gole na bebida esticou-me o braço para que eu provasse o seu cocktail e eu claro que aproveitei. Encostei os meus lábios ao seu copo mas rapidamente mudei o trajecto destes para os seus lábios. Movi-os devagar e suavemente com medo de levar uma “barra”, mas não, ela surpreendentemente retribuiu o gesto.

 

P.V. Sara

 

Ele apanhou-me desprevenida e não consegui afastá-lo. Mas porque o haveria de fazer? Era o que sempre quisera em 6 longos anos.

Foi um beijo curto, suave, como que uma introdução, como se mais beijos viessem depois daquele.

Ele fitou-me e proferiu envergonhado:

           - Desculpa, preferi prová-lo dos teus lábios... - E devolveu-me o cocktail.

Olhei-o hesitante e sorri, pousei a bebida na mesinha e aproximei os meus lábios dos seus, o beijo anterior não me dera tempo de apreciar a sensação.

Ele reagiu com surpresa e continuou o beijo colocando a sua mão na minha perna, abri os olhos e vi que a sua irmã nos olhava, foi aí que raciocinei e o parei: não estávamos sozinhos naquela festa.

Ele olhou na direcção da sua irmã e acenou-lhe porém, mantinha a mão na minha perna... Ele não pensava como eu.

           -Vejo que estás muito bem acompanhado maninho. - Estaria ela a ser irónica ou era impressão minha?!

           - Podes ter a certeza que estou maninha... e tu não arranjas companhia para que eu possa estar a sós com a minha?! - Proferiu-lhe azedamente.

Ela sorriu sinistramente e deu meia volta proferindo pelo caminho: Diverte-te!

Escondi uma risada e ele voltou-se novamente para mim.

           - Onde é que nós íamos? - Perguntou retoricamente ao que eu o beijei.

           - Aqui? - Perguntei eu no mesmo tom.

           - Aí mesmo... - E dito isto sorriu e retomou os nossos beijos

 

P.V. Ângela

 

Com a Sara e o Kellan a divertir-se eu ia-me divertir também. Segurava uma mixórdia qualquer de bebida que o Tom me havia oferecido enquanto dançávamos ao som das músicas que o DJ ia pondo. O espaço para o fazer era pouco mas ainda assim não era impedimento para ninguém. O meu olhar não vagueava por entre a multidão… ele apenas sabia um “caminho” – para o bar onde sentado ao balcão estava o Robert com uma cerveja.

Quanto ao Tom... bem, ele era simpático e giro, e estava interessado em mim, e era festa... por isso no momento em que o atrevido me começou por beijar o pescoço eu deixei-me levar. Quando dei por mim já dançávamos totalmente coladinhos um ao outro fazendo figuras "impróprias", ora subindo, ora descendo, ora beijando, ora mordendo... eu não estava em mim, definitivamente!

           -Queres ir até lá fora? -Sussurrou ao meu ouvido - Aqui está calor…

           -Tenho que avisar a Sara. -Disse concordando.

           -Ela está ocupada... Anda, depois voltamos para cantar os parabéns ao Kellan, não me parece que isso seja para já!

Saímos então do bar e sentámo-nos numas escadinhas que davam para a rua de baixo...

 

P.V. Robert

 

As festas são divertidas quando se está no papel do Kellan ou do Tom ou de dezenas de pessoas que ali estavam, não no meu! Com tantas raparigas giras a que eu queria tinha logo que estar acompanhada… Não aguentava mais estar ali, além de não ser boa companhia para nenhum dos meus amigos, não suportava ver o Kellan e a Sara juntos, mesmo que isso significasse a felicidade do meu grande amigo Lutz. Fui até lá fora e depressa me arrependi de o ter feito: Ao ver o Tom enrolado com a Ângela fui confrontado com uma sensação avassaladora que não consegui explicar muito bem...

Caminhei lentamente até ao carro tentando abstrair do que estava a sentir e olhando uma última vez o olhar deles cruzou-se com o meu e eu bati com força a porta do carro, pus o cinto, aumentei o volume da música e arranquei dali para fora rumo ao hotel.

 

P.V. Ângela

 

           - WTF?! Viste isto?! Era o Robert! -Disse levantando-me num salto.

           - Onde é que ele foi?! Eu vim no carro dele...

           - Anda lá dentro, algo se deve ter passado... -Ordenei preocupada com aquela atitude do Robert, ele parecia bastante chateado.

           - Hei espera por mim... - Pediu ao que eu o esperei, e quando me tentava beijar de novo eu parei-o: eu havia caído em mim.

Apressámo-nos para dentro da discoteca, olhei em volta... Estava tudo normal.

Peguei no telemóvel e liguei-lhe, porém ele rejeitou a chamada, mandei-lhe então uma SMS a perguntar o sucedido...

De repente, o DJ anunciou o aniversário do Kellan e a irmã dele e a Ashley apareceram com um bolo na mão para o aniversariante. Aproximámo-nos do local e começámos todos a cantar-lhe os parabéns.

 

P.V. Kellan

 

Enquanto me cantavam os parabéns olhava à minha volta e mantinha a Sara ao meu lado.

Todos os meus queridos estavam presentes há excepção do Robert. Onde estaria ele? Provavelmente na casa de banho todo bêbado...

           - Assopra as velas! - Pediram todos ansiosos.

Olhei para todos sendo a última a Sara, enchi o peito de ar e desejei com força tê-la... Apaguei as velas e um HEEEEEEH de toda a gente se ouviu, logo depois fui confrontado com inúmeros beijinhos de toda a gente… Eu queria um especial mas dela só recebi um forte abraço, não ia tentar nada, ela matar-me-ia se o fizesse, estava envergonhada. Voltou tudo a dispersar para dançar umas quantas músicas e eu fiz-me acompanhar pela Sarinha…


Publicado por SarAngela às 22:27
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (13) | Adicionar aos Favoritos
|
© 2010| Luz do Futuro é uma fanfiction escrita com intuito lúdico.
Não pretendemos infringir qualquer direito de propriedade aqui publicada.
Licença Creative Commons
Luz do Futuro por SarAngela está lincenciado pela Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 2.5 Portugal License.
Baseado no trabalho de http://loveageless.blogs.sapo.pt/
TODOS os direitos reservados a Luz do Futuro
Quem copiar, estará a infringir termos de copyright.

' About Us


' Ver Perfil

' Mantém-te Ligado

. 5 seguidores

' Find

 

' Outubro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


' Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

' Posts Recentes

' Chegou o dia...

' Capitulo 15 - P.V. Ângela...

' Capitulo 14 – P.V. Ângela...

' Capitulo 13 – P.V. Sara &...

' Capítulo 12 – P.V. Kellan...

' Capitulo 11 – P.V. Ângela...

' Capitulo 10 - P.V. Sara &...

' Comunicado

' Capitulo 9 – P.V. Sara & ...

' Capitulo 8 – P.V. Kellan ...

' Hours

' Views

online